:: Diario de Pernambuco - Política, Brasil, Economia, Mundo, Vida Urbana, Esporte Total, Viver ::
Pernambuco.com

Diario de Pernambuco

  Enviar por e-mail Comentar Imprimir  
American Airlines reduzirá vôos
Baixa ocupação leva empresa a diminuir viagens semanais a partir de abril
Juliana Cavalcanti // Diario
julianacavalcanti.pe@diariosassociados.com.br


Quarenta e cinco dias depois do lançamento do vôo direto Recife-Estado Unidos, a American Airlines decidiu reduzir, a partir de abril, a freqüência para cinco vezes por semana. Mesmo depois de dez anos de espera por este vôo, a baixa ocupação é o motivo para redução no número de viagens.

Patrícia e Ana Luiza tiveram problemas com horário do vôo e extravio das malas. Foto: Inês Campelo/DP/D.A Press
"Esperávamos uma ocupação maior, com mais passageiros locais. Sabemos que o país e o mundo foram pegos pela crise financeira", explica Dilson Verçosa, diretor da companhia no Brasil. Ele ressalta que a ocupação em dezembro e janeiro está em torno de 60%, enquanto a expectativa era 70%. A empresa deve retomar a freqüência diária no mês de junho, quando o fluxo de viagens é maior.

Além do dólar alto e da crise financeira, o que pode estar prejudicando a American Airlines é o número de reclamações que vêm ocorrendo. Atrasos freqüentes, falta de informação e extravio de bagagem são algumas das queixas. A advogada Patrícia Melo e a arquiteta Ana Luiza Rolim passaram por situações que querem esquecer, num vôo que começou no dia 8 deste mês em Nova Iorque e deveria terminar no dia 9, às 10h30, no Recife.

"De Nova Iorque para Miami a viagem foi normal, mas depois só tivemos problemas. O avião deveria sair às 21h10 de Miami, mas só decolou às duas da manhã", conta Patrícia. Elas chegaram a Salvador, única escala do vôo, ao meio-dia, quando deveriam aterrissar às 7h10. Após duas horas esperando num salão do aeroporto, embarcaram novamente e quando o avião se preparava para voar, o piloto desistiu, alegando um problema elétrico, que só foi resolvido às 17h20. Para completar, as malas extraviaram.

A agente de viagens Fátima Bezerra confirma que os clientes têm reclamado e diz que já teve desistências de pessoas que viajaram ou conhecem alguém que passou por transtornos e estão preferindo ir por outras companhias.

Para o diretor da American Airlines, as queixas têm sido poucas diante do número de passageiros transportados, mas acha importante que eles informem a companhia sempre que algo acontecer. Verçosa diz que a aeronave, um 767-300, é a mesma que faz outros destinos internacionais, como Paris e Roma.

Ele reconhece os atrasos, mas atribui a questões climáticas - como nevascas nos Estados Unidos - que causariam um efeito cascata. Sobre os problemas técnicos, afirma que a questão é o curto tempo em solo tanto em Salvador quanto no Recife. "Quando é necessário resolver alguma questão, qualquer atraso faz diferença. Mas se você começa a mexer muito neste tempo, começa a não ser rentável. O importante é que a segurança dos passageiros está sempre em primeiro lugar", conclui.


    COMPARTILHE A NOTÍCIA Adicione ao Uêba Adicione ao Digg Adicione ao Google Bookmarks Adicione ao Technorati Adicione ao Windows Live Adicione ao Reddit Adicione ao Del.icio.us Adicione ao Facebook Adicione ao Yahoo! My Web Adicione ao StumbleUpon


Carregando Aguarde: carregando capa...
Edição de sexta-feira, 19 de dezembro de 2008 
Selecione a data do
Diario que você
deseja visualizar



Procurar