Diario de Pernambuco


Caruaru em construção
THATIANA PIMENTEL
Recife, domingo, 17 de abril de 2011
Cidade virou um verdadeiro canteiro de obras. Setor movimenta R$ 420 milhões/ano, com garantia de vagas


Robson aposta na qualificação. Imagem: BLENDA SOUTO MAIOR/DP/D.A PRESS
Uma cidade em construção. Esta é a impressão geral dos moradores e turistas que visitam Caruaru. Duplicação da BR, obras nas avenidas, ampliação de viadutos, instalação de indústrias, construção de prédios. Para todos os lados que se olhe, existe algo sendo reformado, levantado, criado, ampliado e estruturado. A esse quadro geral somam-se números impressionantes: 50 empreendimentos imobiliários em andamento, quase 200 construtoras funcionando na região, mais de R$ 420 milhões investidos por ano no setor e a geração média de quatro empregos por dia na construção civil. O fato é que Caruaru, distante 132 quilômetros do Recife, vive o ápice de um boom imobiliário, que está mudando a cara do Agreste pernambucano.

“Quando as pessoas falam em Agreste lembram imediatamente do polo têxtil. Poucos percebem que para cada empresa de confecção que é aberta na cidade, temos uma fábrica construída, um prédio novo lançado. É um ciclo contínuo”, afirmou o secretário de Desenvolvimento de Caruaru, Franco Vasconcelos.

Com tantas obras, uma nova cadeia produtiva surgiu envolvendo hotéis, que têm vagas preenchidas por profissionais de outras cidades mesmo em períodos de baixa do turismo. Também há os grandes armazéns, como o Comercial Batista - que inaugurou recentemente sua primeira loja em Caruaru - e a Ferreira Costa, que já está procurando um terreno para construir sua loja na região.

E os projetos não param por aí. De acordo com o presidente da Associação Comercial e Industrial de Caruaru (Acic), João Bezerra, ainda neste ano deverá ser iniciada a construção do primeiro prédio de 30 andares do município, além da terraplanagem de uma nova indústria de pré-moldados de alumínio e a instalação da primeira fábrica de leite da Cemil no estado, que vai produzir 200 mil litros por dia. “Só estas obras deverão empregar cerca de 600 pessoas”, contabilizou Bezerra.

Segundo Clauston Pacas, dono de uma das empreiteiras da região, a CP Construção, outro forte motivo para o boom do setor é a demanda de unidades habitacionais, causada pela entrada de moradores de mais de 60 cidades vizinhas no mercado de trabalho de Caruaru. “Temos uma localização estratégica, com o cruzamento de duas BRs, a 232 e a 104, e estamos em um momento de aquecimento econômico, onde novas vagas de trabalho surgem todos os dias. Muitas famílias, ao invés de se mudarem para o Recife, estão vindo para cá. Além disso, os próprios moradores de Caruaru estão tendo um aumento em seu poder aquisitivo, o que acaba gerando uma nova demanda por imóveis”, afirmou.

Bom para o pedreiro João de Souza, 36 anos, que admite não ver tanta oferta de trabalho desde que começou na profissão, há mais de duas décadas. “Hoje, as pessoas vem atrás da gente oferecendo emprego. Eu prefiro trabalhar com particulares, casas e lojas, onde eu ganho até R$ 500 por semana. Nas construtoras, o salário é de no máximo R$ 1 mil por mês”, comentou. Para Erivaldo José da Silva, 25 anos, o boom está sendo a oportunidade de ter uma profissão. “Eu trabalhava na roça, mas queria muito me capacitar. O Sandro me chamou e comecei na obra, sendo ajudante de pedreiro, e agora sei que quero continuar na área.”

saibamais

Veja alguns números da   construção civil em Caruaru:
Dos 185 cidades de Pernambuco, 25 somam 80% do PIB do estado. O Agreste tem 12% deste total e Caruaru está em 1º lugar na região
A cidade recebeu mais de R$ 126 milhões em investimentos industriais nos últimos dois anos
Cerca de 3 mil empresas chegaram à cidade entre 2005 e 2011 e 20% delas estão em construção ou expansão
Neste mês, cerca de 50 empreendimentos estão em andamento nas ruas da cidade
Ao todo, 184 construtoras funcionam no local
Juntas, elas investem uma média de R$ 420 milhões no setor por ano
Entre as obras nas rodovias, vias públicas, instalação de indústrias e construção de prédios, o setor de construção civil gera mais de 2 mil empregos por ano, média de quatro por dia
No último feirão imobiliário da cidade (2010), foram ofertados quase 3 mil imóveis
Em apenas um bairro da cidade, o Maurício de Nassau, existem hoje aproximadamente 20 obras envolvendo a construção e reforma de prédios, empresas, lojas e casas
Com o mercado inflacionado, um metro quadrado construído em um bairro de classe média em Caruaru está custando cerca de R$ 3,5 mil, preço pouco abaixo do custo do metro quadrado no Recife, em torno de R$ 4,5 mil

Apesar disso
Apenas duas universidades oferecem o curso de engenharia civil na cidade, ainda assim, as primeiras turmas destes cursos só serão formadas após 2013
Nas obras, faltam passadeiros, azulejistas, pedreiros, carpinteiros, marceneiros, eletricistas, ajudante de pedreiros e alveneiros
O Senai local concentra 95% de seus cursos de extensão e capacitação no setor têxtil
O Instituto Federal de Pernambuco – IFPE (antigo Cefet) – iniciou suas atividades na cidade apenas em setembro de 2010 e só oferece dois cursos na área de construção civil: edificações e segurança do trabalho. Estes profissionais só chegarão no mercado em 2012
Cerca de 30% dos trabalhadores do setor que estão em atividade em Caruaru são moradores do estado da Paraíba e das cidades do Recife, São Caetano, Cumaru e Agrestina
Mesmo com a grande demanda, a média de um salário nas construções locais varia entre um ou dois salários mínimos

Fonte: Prefeitura de Caruaru e construtoras




Galeria de imagens


Edição do dia
economia - Clique na imagem para vê-la maior
Anteriores
Selecione a data do Diario que você deseja visualizar